outubro 31, 2009

Aquela porta ou o cômodo escuro

E se eu te dissesse que já entrei por aquela porta – se eu te dissesse conscientemente. Posso não decifrar teus pensamentos, mas eu já entrei e descobri (mesmo assim não entendo).

Talvez tenha sido você o causador de minha entrada. Deixou-a semi-aberta. No entanto, não decifrei teus pensamentos. Será que quem evita sou eu ou você? O inconsciente. Talvez mais consciente do que a consciência.
Acho que vi os teus olhos... Eles olharam os meus quando eu entrei naquele cômodo escuro.
O cômodo era de uma escuridão que cativava como se fosse... Não há palavras.
Talvez o ato de não ser ou ter nada naquele momento foi o melhor ato. Entrei naquele lugar para descobrir, achando que já sabia de algo. Saí daquele cômodo consciente de que não sabia de nada, muito menos sobre você.
Será que eu posso dizer aquela porta?

4 comentários:

  1. "Será que quem evita sou eu ou você?"
    É a pergunta que me cerca!
    Não sei se aguento a resposta, mas já tratei de respondê- la e tá bem dificil! rs

    ResponderExcluir
  2. quartinho escuro era um eufemismo que minha tia Fumiko usava para cu.

    obrigado pelos comentários camaradas.


    pax et bonum
    marcos

    ResponderExcluir
  3. Ry,




    Jogo de espelhos, ziguezagueante. Só pode deixar a personagem perdida, de fato.


    O leitor, nem tanto.



    ;)




    Beijos,








    Marcelo.

    ResponderExcluir

"Tudo vale a pena se a alma não é pequena." Fernando Pessoa