novembro 21, 2009

Nasceu um Poeta!

Foi numa tarde
O sol , no acaso , tingia o poente
De sague, de cinza,
De cores tão tristes,
Tão tristes demais!
                             – Oh feios augúrios!
                             Pro Jorge ao nascer!

Sofria num quarto,
Um ente querido,
As dores do parto,
De um parto infeliz!

                             Nos panos do leito
                             A cor do poente!...
Mais tarde, era noite,
Já noite fechada,
Ouviu-se uns vagidos
Aflitos! Aflitos!
– Meu Deus que será?..
                             E fora rezavam
                             Baixinhos louvores,
                             A Nossa Senhora
                             do Parto e das Dores!



Jorge Fernandes



Extraído do livro:
Jorge Fernandes - O viajante do tempo modernista
obra completa.

Organização: Maria Lúcia de Amorim Garcia
Editora: Rn Econômico

__________________________

Um comentário:

  1. Ry,



    Partos difíceis movem o lutador desde o berço.





    Beijos,






    Marcelo.

    ResponderExcluir

"Tudo vale a pena se a alma não é pequena." Fernando Pessoa